fbpx

Existem muitas ideias e projetos que não avançam devido ao aspeto financeiro, seja porque necessitam de algum investimento para ser implementados, seja porque implicam uma mudança de paradigma que envolve algum risco a nível da estabilidade financeira.

Gostava, por isso, de te falar sobre um modelo de financiamento que te pode ajudar a angariar dinheiro para concretizares as tuas ideias: o crowdfunding.

Crowdfunding: modelo de financiamento colaborativo

O crowdfunding consiste numa campanha de angariação de fundos para determinado projeto, cujo financiamento é obtido através do contributo de várias pessoas.

O objetivo da campanha pode ser implementar uma nova ideia de negócio, promover uma iniciativa cultural ou realizar um evento com impacto social.

Tudo funciona numa plataforma online onde apresentas o teu projeto, o montante que pretendes angariar, o prazo em que decorre a campanha e defines se existe uma recompensa para os investidores.

Em termos de custo, dependendo da plataforma, esta pode cobrar-te uma comissão sobre o valor angariado.

Crowdfunding: a história

Apesar deste conceito se ter tornado mais popular a partir de 2010, a atividade não é nova.

Como refere este estudo, ainda estávamos no início dos anos 80 quando o jornal “O Dia” lançou uma campanha de angariação de fundos, nos moldes de crowdfunding.

O objetivo foi a construção de uma estátua na Praça do Areeiro, em Lisboa (hoje denominada de Praça Francisco Sá Carneiro), em homenagem ao então primeiro-ministro português, Francisco Sá Carneiro, que morreu na queda de uma aeronave em Camarate.

Este modelo de financiamento colaborativo, ou coletivo, nasceu sobretudo para apoiar pequenos projetos artísticos e sociais, desenvolvidos por grupos de amigos, de familiares ou conhecidos, revelando uma origem de cariz emocional ou familiar, de amizade, de identificação social, económica, política, cultural e artística.

Apesar de poder existir uma recompensa pelo investimento feito, esta não era condição essencial desta atividade.

A expetativa de retorno do investimento apenas foi introduzida recentemente.

Os 4 tipos de Crowdfunding

Os avanços da tecnologia e o forte interesse despertado por este modelo de inovação financeira levaram à necessidade de legislar esta atividade.

Em Portugal, o crowdfunding encontra-se regulamentado na Lei n.º 102/2015, de 24 de agosto, alterada pela Lei n.º 3/2018, de 9 de fevereiro, que podes consultar aqui.

Em função do tipo de financiamento que pretendes obter e da recompensa que ponderas proporcionar aos investidores, podes optar por 4 modalidades de crowdfunding:

1. Financiamento colaborativo através de donativo

A entidade financiada recebe um donativo, com ou sem a entrega de uma contrapartida não pecuniária.

2. Financiamento colaborativo com recompensa

A entidade financiada fica obrigada à prestação do produto ou serviço financiado, em contrapartida pelo financiamento obtido.

3. Financiamento colaborativo de capital

A entidade financiada remunera o financiamento obtido através de uma participação no respetivo capital social, distribuição de dividendos ou partilha de lucros.

4. Financiamento colaborativo por empréstimo

A entidade financiada remunera o financiamento obtido através do pagamento de juros fixados no momento da angariação.

Plataformas de Crowdfunding

Existem várias plataformas de crowdfunding a que podes recorrer, consoante o objetivo do teu projeto e da recompensa que ponderas proporcionar.

Optei por destacar três plataformas portuguesas, com fins distintos, mas existem muitas mais que podes explorar a nível internacional. Neste artigo podes conhecer algumas das mais populares.

PPL

Esta plataforma de crowdfunding, que assenta num modelo de financiamento coletivo por recompensa, existe desde 2011 e já ajudou a angariar mais de 5 milhões de euros.

Divide-se em dois eixos:

  • PPL Causas – destina-se a causas solidárias e os apoios são transferidos no final do prazo, mesmo que não seja atingido o objetivo.
  • PPL Crowdfunding – para qualquer outro tipo de projeto; se o objetivo da campanha não for atingido, os apoios são devolvidos, livre de custos.

No caso de angariares financiamento a plataforma cobra uma comissão de 7,5% + IVA.

RAIZE

A Raize é uma plataforma de crowdfunding por empréstimo, que permite às pessoas financiar as micro e pequenas empresas portuguesas.

Apresenta-se como uma alternativa à Banca, com condições mais favoráveis para ambas as partes.

GoParity

A GoParity também é uma plataforma de crowdfunding por empréstimo, direcionada especificamente para o investimento em projetos sustentáveis.

Aqui as pessoas emprestam dinheiro para projetos que contribuem para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU).


Como vês, existem várias possibilidades para angariar dinheiro fora do tradicional empréstimo na Banca.

Que este não seja o motivo para desistires dos teus sonhos!

Seguimos juntos!

Créditos da imagem: cottonbro no Pexels

2 Comments

  1. Olá bom dia somos uma empresa audiovisual ,conceituada no mercado. Como produtora executiva pretendo fazer um programa para o público em geral sobre os direitos do consumidor. Para passar nas redes sociais. Este tipo de programa abrange todos os cidadão que tenham dúvidas sobre assuntos legais . Temos a colaboração de um advogado para responder a todas as questões colocadas. Gostaria de saber quais os passos para angariar fundos para o projecto. Atenciosamente

    Maria Madalena Augusto

    1. Olá, Maria.
      Obrigada pelo teu interesse neste artigo.
      Em relação às sugestões que apresento, uma possibilidade é criares uma campanha de crowdfunding na PPL; contudo se estivermos a falar de financiamento com valores mais elevados, talvez seja mais indicado procurares informação junto da Raize.
      Em todo o caso, uma vez que se trata de uma empresa audiovisual, acho que devias explorar os apoios que existem no ICA – Instituto do Cinema e Audiovisual Português, ou até mesmo os Fundos Europeus que se destinam a esta área específica (vê, por exemplo, o site europacriativa.eu).
      Boa sorte para o teu projeto!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *