fbpx

Quer seja num processo de mudança, de autoconhecimento ou até mesmo na jornada de empreender, a curiosidade é um requisito fundamental.

A curiosidade é a semente da criatividade, incentivando perguntas que geram novas possibilidades e que permitem testar se as ideias funcionam.

Ser curioso está no nosso ADN. Na infância passamos pela idade dos “porquês” e podemos desenvolver o nosso espírito inquisitivo consoante os nossos familiares nos incentivarem.

Se as perguntas forem vistas como intrometidas e aborrecidas, os pais vão estar sempre a pedir para a criança não fazer mais perguntas e o seu lado curioso vai perdendo força.

Por outro lado, se os pais reforçarem este lado entusiasta e interessado, a criança vai sentir-se segura para continuar a questionar, estimulando a sua aprendizagem.

Independentemente de como a curiosidade é estimulada na infância, o indivíduo está sempre a tempo de desenvolver esta capacidade, seja questionando tudo à sua volta ou explorando novos temas e interesses.

Nas organizações, por exemplo, existem metodologias que encorajam os colaboradores a questionar tudo. Não devem aceitar os métodos e processos como algo fechado. Devem questionar “porque é que fazemos isto assim?”, “e se tentássemos de outra forma?”, “porque é que não resulta daquela maneira?”.

A arte de perguntar, e de colocar as questões certas, conduz a respostas poderosas que abrem possibilidades para fazer as coisas de forma diferente, muitas vezes inovando processos ou encontrando soluções que há muito se procuravam.

Não é por acaso que as “perguntas” são uma das principais ferramentas de coaching.

É através das perguntas certas que o coach consegue conduzir o coachee às respostas que ele procura.

Para ir do ponto A ao ponto B é preciso criar alternativas viáveis na mente do coachee, e com elas todo um mundo de possibilidades que antes não se visualizavam.

A curiosidade desperta assim a criatividade.

E ambas são fundamentais na solução de problemas.

Neste artigo falei-te sobre 3 estratégias que nos ajudam no processo de testar ideias.

Uma delas é o pensamento lateral que, para além de permitir gerar novas ideias e aperfeiçoar as existentes, ajuda a resolver problemas.

O pensamento lateral utiliza a criatividade para explorar outras formas de pensar.

Se tiveres um lápis contigo, pega nele e questiona-te: que usos diferentes poderia eu dar a este lápis?

Experimenta criar uma lista de 10 possibilidades.

Por exemplo:

  1. utilizar como pau para endireitar as plantas
  2. prender o cabelo
  3. utilizar como batuta
  4. coçar as costas
  5. colocar por cima do lábio e fazer de bigode
  6. microfone
  7. brinquedo para gato (adoram!)
  8. marcador de livros
  9. medir algo
  10. girar num jogo do género “verdade ou consequência”

Consegues perceber como ser curiosa acerca dos vários usos de um lápis despertou a minha criatividade? ?

Isto aplica-se em todas as dimensões da vida.

Quando escolhes ser curioso, explorar novas possibilidades e testar novas ideias, estás a expandir a tua consciência e a estimular o pensamento criativo.

Escolhe a curiosidade ao invés do medo

Creative living is choosing the path of curiosity over the path of fear.

Elisabeth Gilbert

Marie Forleo tem uma abordagem muito interessante sobre o poder de seguires o teu medo.

O medo que, bem direcionado, consegue apontar-te o caminho certo como uma bússola.

No entanto, na maioria das situações, vais encontrar um medo paralisante, que não te permite avançar nas tuas ações.

Perante esse medo bloqueador deves utilizar a curiosidade para ultrapassar os obstáculos.

Questiona todos os cenários:

  • O que acontece, se escolher este caminho? E depois, o que vem a seguir? E depois?
  • E se optar por fazer outra escolha? O que será que posso encontrar?
  • Será que isto que estou a imaginar é verdade? Será que é mesmo verdade?
  • Se tivesse todo o tempo e dinheiro do mundo, qual seria a escolha que me traria felicidade?

Ao colocares estas questões estás a entrar no processo criativo: podes relacionar ideias novas com ideias já existentes ou podes até reconhecer a ligação entre alguns conceitos.

No fundo estarás a fazer um brainstorm para encontrar perspetivas diferentes para os teus desafios.

E o resultado será mais clareza nas escolhas e leveza na decisão.

Sê curioso e permite-te ser criativo, os resultados vão aparecer 😉

Seguimos juntos!

Créditos da imagem: Olya Kobruseva no Pexels

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *